Artigos

Coworkings crescem durante a pandemia

Coworkings crescem durante a pandemia

A pandemia provocou um boom no mercado dos coworking no país. O segmento, que cresce desde 2005, aumentou de forma considerável em 2020. Segundo Fernando Bottura, CEO e fundador da GoWork, uma das pioneiras do setor no Brasil, em matéria da Exame, sua empresa, por exemplo, cresceu dez anos em apenas doze meses.

Uma das razões para o crescimento foi o fato de 46% das empresas brasileiras terem adotado o home office no ano passado e começado a repensar o formato de trabalho.

Para os coworkings o momento também é de adaptação. A pandemia ainda não acabou e é preciso adequar o espaço e os serviços oferecidos para manter os coworkers satisfeitos e – principalmente – se sentindo seguros.

Saúde e conforto estão entre as adaptações necessárias

O portal Coworking Brasil listou recentemente as tendências para o segmento em 2021. Saúde, conforto e preocupação com o meio ambiente estão entre elas. A seguir, ressaltamos quatro das mais importantes. Confira!

1 – Flexibilidade

Com a pandemia de Covid-19 grande parte dos escritórios entraram em regime de home office, mas ainda é necessária uma sede empresarial para continuarem funcionando, seja por não conseguir trabalhar de casa, ou pela necessidade de uma reunião com o cliente. Nesse cenário, a flexibilidade é a chave.

Os ambientes precisam ser funcionais e flexíveis para todo tipo de coworker, criando espaços comunitários diversos e, também, para nichos específicos. O espaço deve ser pensando para pessoas de diferentes ocupações colaborarem entre si.

2 – Saúde e Conforto

Algo que não pode faltar quando pensamos no cenário atual, a saúde mental vem sendo discutida cada vez mais hoje em dia. Segundo uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), os transtornos mentais relacionados ao trabalho ocorrem com 30% das pessoas.

Espaços de relaxamento, aulas de meditação e yoga e móveis ergonômicos são importantes para oferecer conforto aos coworkers e fazer com que eles permaneçam mais tempo no espaço e se sintam mais dispostos para o trabalho, acarretando assim em aumento de produtividade.

3 – Expansão

O cenário pós-pandemia é de crescimento, principalmente neste setor, sendo assim expansão deve estar no planejamento dos empresários. “Por conta de um aumento de profissionais trabalhando remotamente, a indústria de coworking precisa estar preparada para atender a essa alta demanda. Empresários modernos passam parte de seu tempo viajando, então é importante pensar em soluções para quem precisa de um escritório em diferentes partes do mundo”, afirma a Coworking Brasil.

4 – Ecologia

O meio ambiente está em foco nos dias atuais, não somente dentro de casa, mas para os espaços de trabalho também, áreas abertas e projetadas de forma inteligente, voltadas para ecologia e focadas na diminuição do desperdício são os mais procurados. 

A automação de serviços e mudanças como uso mínimo de papel, ou trocar utensílios de plástico por vidro e cerâmica, são ações que incorporam uma visão ecológica para a marca e os coworkings precisam incorporar estes conceitos no seu dia a dia. 

Due Coworking segue tendências

Desde o início da pandemia o Due Coworking adaptou suas instalações para garantir a segurança dos coworkers. Em junho de 2020, a empresa recebeu o certificado de Escritório Mais Seguro, emitido pela BeerOrCoffee, especialista em espaços de coworking, e a Sercon, especialista em segurança e saúde no trabalho.

A concepção original do coworking, com salas amplas e ventiladas e também áreas abertas ajuda a manter o ambiente confortável e protegido, com um processo de higienização que ocorre duas vezes ao dia. Além disso, a flexibilidade do espaço permitiu o distanciamento das mesas, todos os ambientes possuem álcool em gel disponível e a entrada é protegida por um tapete sanitizante.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *